Design/Aparência Estético-Formal do Objeto

Design
“O conceito de estética provém da palavra grega aisthesis e significa percepção sensorial. A estética é a ciência das aparências percebidas pelos sentidos”. (Löbach, 1981). No design, a aparência estético-formal do objeto diz respeito aos seus atributos de configuração física e ao estilo de sua identidade visual. É o aspecto psicológico da percepção sensorial do objeto, sobretudo durante o seu uso e, de modo indireto relaciona-se, principalmente, com suas características ergonômicas, simbólicas e semióticas. Em assim sendo, pressupõe-se que o designer deve possuir um repertório cultural e uma bagagem tecnológica que o habilite a equacionar e resolver de maneira criativa e adequada a aparência estética do objeto. Por outro lado, é fundamental esclarecer que esta aparência não é determinada apenas pelo “gosto" ou “preferência” pessoal do designer durante a concepção…
Read More

A Ergonomia no Design da Moda

Ergonomia, Moda
A Ergonomia, numa acepção ampla, tem como objetivo a busca da melhor adequação possível do objeto aos seres vivos em geral. Sobretudo no que se refere à segurança, ao conforto e à eficácia de uso, de funcionalidade e de operacionalidade dos objetos – mais particularmente nas atividades e tarefas humanas. Nesse contexto, a palavra objeto assume a significação de coisas de modo geral. Contempla, portanto, todos os produtos ou sistemas de produtos, desde os mais simples aos mais complexos ou sistêmicos. No que se refere ao design da moda, os conhecimentos da ergonomia relativos à sua metodologia projetual são absolutamente necessários e sua aplicação contempla um imenso universo de produtos que configuram o vestuário e seus acessórios complementares e concorre como um instrumental valioso para a melhor adequação desses produtos…
Read More

Criatividade e Brainstorm no Design

Design
Criatividade A criatividade se refere à inventividade e à engenhosidade dos indivíduos na resolução de problemas ligados à vida e às atividades humanas. Por ser um processo natural, regido por leis e fenômenos imprevisíveis, não pode ser ensinada. No entanto, existem aspectos inerentes à mesma que podem ser treinados para conduzir às idéias ou soluções originais. Isso porque a criatividade é exercitada, predominantemente, na resolução de problemas, manifestando-se diante de uma dificuldade concreta que requer uma solução. No design, ela é alusiva ao poder de criação. Está implícita e é um requisito fundamental que permeia todas as fases do processo de concepção do objeto: planejamento, projeto e produção. Aqui não se tem muita alternativa: deter um maior ou menor grau de criatividade é, de fato, uma qualidade intrínseca à habilidade e ao talento do…
Read More

Design do Produto e Especificação de Materiais

Design
O avanço contínuo e acelerado da ciência, do desenvolvimento e da inovação tecnológica em todos os campos, áreas e setores do conhecimento são revolucionários. Particularmente, no campo dos materiais, proporciona uma contínua revolução conceptiva-projetual no design e no redesign de produtos de todo tipo e natureza. Potencializa em muito a criatividade dos designers na resolução de problemas como, por exemplo, os de natureza estrutural, funcional, operacional, ergonômico e estético-formal. Em alguns casos, permite a redução de dimensões e de peso drasticamente, aflorando o conceito e as soluções de miniaturização do produto. São muitos os casos, sobretudo na indústria de produtos eletroeletrônicos como, por exemplo, na área da computação, em produtos inovadores. Na indústria automobilística, e de veículos de modo geral, a substituição gradativa do metal pelos plásticos de alta performance…
Read More

NR 17 – Norma Regulamentadora 17

Design
ERGONOMIA 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. 17.1.1. As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho, e à própria organização do trabalho. 17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora. 17.2. Levantamento, transporte e descarga individual de materiais. 17.2.1. Para efeito desta Norma Regulamentadora: 17.2.1.1. Transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o…
Read More

O Bom e o Bonito em Design

Design
Goodness and Beauty in Design Iida, Itiro; Doutor, Universidade de Brasília, iida@unb.br Mühlenberg, Poema; Graduanda, UnB, eusoupoema@yahoo.com.br .......................................................... Resumo “ No senso popular, as duas qualidades essenciais do produto são o bom e o bonito. O lado bom significa ter qualidades técnicas e funcionais. Bonito significa ter qualidades sensoriais, sendo agradáveis ao olhar, tato, audição e olfato. Os métodos e técnicas geralmente aplicados no Design tendem a privilegiar o lado bom, e isso nem sempre resulta também no bonito. O Design pode apoiar-se em conhecimentos de outras áreas como engenharia de materiais e processos, informática, ergonomia e outras, para produzir objetos eficientes, confortáveis, fortes e duráveis. Contudo, ainda não existem métodos e técnicas adequadas para se chegar ao bonito. Recentes pesquisas na área de design and emotion colocam a emoção…
Read More

Design de Cadeira/ Parâmetros Projetuais

Arquitetura, Design
Sob a ótica da Ergonomia, o ato de sentar é tido como uma postura humana natural procurada para aliviar a fadiga da postura em pé. Essencialmente, a cadeira significa a existência de um plano para apoio das nádegas e um plano para apoio das costas. Amarrada a esta definição, tem-se o conceito de posição. Isto é, da postura natural do ato de sentar adotada pelo usúario, que deve manter suas costas eretas, de maneira a se posicionar numa postura tal, que minimize as pressões nos seus discos intravertebrais, sem com isso criar tensões nos músculos eretores do tronco, preservando-se a curvatura da coluna tanto quanto possível. O ato de sentar, ocidental contemporâneo, pressupõe a melhor relação de acomodação entre o usuário e a cadeira, tendo como ponto de referência básica…
Read More