Design/Aparência Estético-Formal do Objeto

Design
“O conceito de estética provém da palavra grega aisthesis e significa percepção sensorial. A estética é a ciência das aparências percebidas pelos sentidos”. (Löbach, 1981). No design, a aparência estético-formal do objeto diz respeito aos seus atributos de configuração física e ao estilo de sua identidade visual. É o aspecto psicológico da percepção sensorial do objeto, sobretudo durante o seu uso e, de modo indireto relaciona-se, principalmente, com suas características ergonômicas, simbólicas e semióticas. Em assim sendo, pressupõe-se que o designer deve possuir um repertório cultural e uma bagagem tecnológica que o habilite a equacionar e resolver de maneira criativa e adequada a aparência estética do objeto. Por outro lado, é fundamental esclarecer que esta aparência não é determinada apenas pelo “gosto" ou “preferência” pessoal do designer durante a concepção…
Read More

Criatividade e Brainstorm no Design

Design
Criatividade A criatividade se refere à inventividade e à engenhosidade dos indivíduos na resolução de problemas ligados à vida e às atividades humanas. Por ser um processo natural, regido por leis e fenômenos imprevisíveis, não pode ser ensinada. No entanto, existem aspectos inerentes à mesma que podem ser treinados para conduzir às idéias ou soluções originais. Isso porque a criatividade é exercitada, predominantemente, na resolução de problemas, manifestando-se diante de uma dificuldade concreta que requer uma solução. No design, ela é alusiva ao poder de criação. Está implícita e é um requisito fundamental que permeia todas as fases do processo de concepção do objeto: planejamento, projeto e produção. Aqui não se tem muita alternativa: deter um maior ou menor grau de criatividade é, de fato, uma qualidade intrínseca à habilidade e ao talento do…
Read More

Design do Produto e Especificação de Materiais

Design
O avanço contínuo e acelerado da ciência, do desenvolvimento e da inovação tecnológica em todos os campos, áreas e setores do conhecimento são revolucionários. Particularmente, no campo dos materiais, proporciona uma contínua revolução conceptiva-projetual no design e no redesign de produtos de todo tipo e natureza. Potencializa em muito a criatividade dos designers na resolução de problemas como, por exemplo, os de natureza estrutural, funcional, operacional, ergonômico e estético-formal. Em alguns casos, permite a redução de dimensões e de peso drasticamente, aflorando o conceito e as soluções de miniaturização do produto. São muitos os casos, sobretudo na indústria de produtos eletroeletrônicos como, por exemplo, na área da computação, em produtos inovadores. Na indústria automobilística, e de veículos de modo geral, a substituição gradativa do metal pelos plásticos de alta performance…
Read More

NR 17 – Norma Regulamentadora 17

Design
ERGONOMIA 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. 17.1.1. As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho, e à própria organização do trabalho. 17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora. 17.2. Levantamento, transporte e descarga individual de materiais. 17.2.1. Para efeito desta Norma Regulamentadora: 17.2.1.1. Transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o…
Read More

O Bom e o Bonito em Design

Design
Goodness and Beauty in Design Iida, Itiro; Doutor, Universidade de Brasília, iida@unb.br Mühlenberg, Poema; Graduanda, UnB, eusoupoema@yahoo.com.br .......................................................... Resumo “ No senso popular, as duas qualidades essenciais do produto são o bom e o bonito. O lado bom significa ter qualidades técnicas e funcionais. Bonito significa ter qualidades sensoriais, sendo agradáveis ao olhar, tato, audição e olfato. Os métodos e técnicas geralmente aplicados no Design tendem a privilegiar o lado bom, e isso nem sempre resulta também no bonito. O Design pode apoiar-se em conhecimentos de outras áreas como engenharia de materiais e processos, informática, ergonomia e outras, para produzir objetos eficientes, confortáveis, fortes e duráveis. Contudo, ainda não existem métodos e técnicas adequadas para se chegar ao bonito. Recentes pesquisas na área de design and emotion colocam a emoção…
Read More

Design de Cadeira/ Parâmetros Projetuais

Arquitetura, Design
Sob a ótica da Ergonomia, o ato de sentar é tido como uma postura humana natural procurada para aliviar a fadiga da postura em pé. Essencialmente, a cadeira significa a existência de um plano para apoio das nádegas e um plano para apoio das costas. Amarrada a esta definição, tem-se o conceito de posição. Isto é, da postura natural do ato de sentar adotada pelo usúario, que deve manter suas costas eretas, de maneira a se posicionar numa postura tal, que minimize as pressões nos seus discos intravertebrais, sem com isso criar tensões nos músculos eretores do tronco, preservando-se a curvatura da coluna tanto quanto possível. O ato de sentar, ocidental contemporâneo, pressupõe a melhor relação de acomodação entre o usuário e a cadeira, tendo como ponto de referência básica…
Read More